Eu não sabia explicar nós dois
Ela mais eu, por que eu e ela
Não conhecia poemas
Nem muitas palavras belas
Mas ela foi me levando
Pela mão.
Íamos tontos os dois assim ao léu
Ríamos, chorávamos sem razão
Hoje, lembrando-me dela
Me vendo nos olhos dela
Sei que o que tinha de ser se deu
Porque era ela
Porque era eu.
Chico Buarque.   (via oxigenio-dapalavra)

Numa gama cromática,

O seio em pérolas furta cores,

A Vênus do Adriático

Emerge d´agua o corpo alvirrósseo

As cúpulas, sobre o azul das ondas

Tomando a frase ao pé da letra,

Intumescem qual gargantas redondas

E um suspiro de amor emana.

O batel aporta e me depõe,

Fogando a amarra ao pilar,

Em frente a uma fachada rosa,

No mármore de uma escada.

oscar wilde, o retrato de dorian gray (via oxigenio-dapalavra)